Techwing na Campus Party 2015

Techwing na Campus Party 2015

Estou aqui na São Paulo Expo acompanhando a Campus Party 2015. Essa é a oitava edição que reúne cerca de 8000 pessoas com objetivo de trocar ideias, jogar, fazer amigos e, agora, ter novas oportunidades de negócios. E é com esse objetivo que estou aqui com a Techwing. Vou acompanhar o evento até o último dia do evento que será no dia 8 de fevereiro (domingo).

Eu cheguei apenas no segundo dia do evento, dia 04 de fevereiro, porque no primeiro dia foi apenas para as boas vindas e para o pessoal se acomodar no camping. Nesse primeiro dia que eu cheguei, acompanhei algumas palestras. Há diversas palestras acontecendo ao mesmo tempo espalhados pelo pavilhão. Porém, é possível assistir a outras palestras realizadas por vídeos que são disponibilizados no site oficial do evento.

Usando o Canvas da Forma Certa

Usando o Canvas da Forma Certa

A primeira palestra que assisti foi "Usando o Canvas da Forma Certa" por Tiago Lemos. O foco principal da palestra foi a demonstração do modelo Canvas para apresentar à investidores, mencionando também o que deve ou não fazer ao apresentar uma ideia ou modelo de negócio para uma Start Up. Na imagem acima, ele mostra que há muito mais por trás dos resultados, comportamentos e atitudes em um negócio. Crença, por exemplo, pode ser algo limitador no ambiente de empreendedorismo. É preciso não apenas acreditar no que está falando, como ter seus pensamentos focados no negócio que está criando e ter seus valores muito bem definidos. Isso nem sempre é mostrado (ilustrado como a parte submersa de um iceberg).

Todo projeto é uma mudança. Ele menciona também que toda mudança é importante, porém, deve-se muito entender o processo para essa mudança. Somente mudar não é o segredo do sucesso. O sucesso de um projeto é determinar bem o processo dessa mudança.

Além disso, não adianta utilizar a melhor ferramenta sem ter as pessoas adequadas para conduzir um projeto. Avaliação dos indivíduos participantes e as interações são mais importantes que o processo. Antes de escolher as ferramentas, primeiro se deve escolher as pessoas.

Segundo o palestrante, para preencher o modelo canvas, começa com duas perguntas: Qual é o problema? Qual é a solução para esse problema? Entre os quadrantes do modelo Canvas, aprofunde em clientes e proposta de valor. Conheça o cliente, conheça seus problemas, monte uma proposta de valor para seus clientes.

Portanto, antes de pensar na metodologia, pense sempre na finalidade do projeto no foco do cliente. O que o cliente vai ganhar com essa mudança. A partir de então, preencha o quadro.

Camille Francois - Segurança e Cyber War

Segunda palestra que eu fui aconteceu no palco principal. Camille François é especialista em política pública de cyberwar & cyberpeace e pesquisadora de Internet e Sociedade na escola de direito de Harvard. Estuda questões relacionadas à vigilância, privacidade e robótica, além de participar como professora visitante, no instituto da Universidade de Columbia Saltzman para estudos da Guerra e Paz.
Camille François faz parte de uma ampla gama de projetos de defesa da cultura livre e atua como conselheira Digital para Bibliotecas Sem Fronteiras, trabalhando em educação e inclusão digital.
Seu trabalho e suas opiniões têm sido destaque nos meios de comunicação, tais como Scientific American, The Guardian e a BBC.

Camille Francois

É interessante mencionar sobre essa palestra é o cuidado que precisamos ter sobre o que divulgamos na internet. Que tipo de informação e o que pode ter de consequências com essa divulgação. Ela dá um exemplo do filme "A Entrevista" em que houve repercussão mundial e a empresa produtora do filme sofreu retaliação de hackers, criando uma situação diplomática grave.

Portanto, informações compartilhadas pode ter consequências tanto para o bem quanto para o mal. É preciso tomar cuidado com o que é dito para o mundo. Ela se espalha muito mais rápido do que se imagina.

Jogos e o Futuro da Humanidade

Essa palestra, ministrada por Edgard B. Damiani, teve como objetivo correlacionar a evolução dos jogos eletrônicos com a evolução do humanidade. Ele dá exemplos de alguns jogos com o que acontece com a humanidade no mesmo momento, e põe os jogos em quatro níveis: instintivo, pessoal, social e espiritual.

Níveis dos Jogos

O nível instintivo está relacionado com a sobrevivência do homem (Resident Evil, Amnesia). O nível pessoal são jogos mais individuais e foram criados no momento em que a pessoa era mais reclusa, não tendo muita interação com outro indivíduos. O nível social já parte para a geração multiplayer (World of Warcraft, League of Legends, Farmville). Por último, ele menciona como nível espiritual como jogos ainda não lançados, criando um desafio do que pode ir além, até onde pode chegar os jogos na humanidade. Então ele menciona que: "Quando os jogos são criados para não só dar vazão às vontades, mas também para direcionar essa vontade, eles se tornam catalisadores de mudanças", enfatizando esses níveis dos jogos de acordo com a mudança da sociedade.

League of Legends - Jogo Social

Por fim, ele conclui com uma frase de Carl G. Jung: "De um ponto de vista psicológico, o fenômeno do espírito, como todo complexo autônomo, aparece como uma intenção do inconsciente que é superior a, ou pelo menos no mesmo nível, das intenções do ego. Se fôssemos fazer justiça à essência da coisa que estamos chamando de espírito, deveríamos realmente falar de uma consciência 'superior', em vez do inconsciente".

Em resumo, o primeiro dia foi muito proveitoso. A experiência que se ganha estando aqui é muito grande. Vamos ver o que terá no segundo dia do evento.

Techwing, As Melhores Soluções Em TI e Gerenciamento de Projetos Você Encontra Aqui!